Notícias Corporativas

Especialista dá dicas para empreender na internet

DINO
Escrito por DINO
Especialista dá dicas para empreender na internet
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

Segundo pesquisa feita pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), o país chegou à marca de 152 milhões de usuários da web entre 2020 e 2021. Para empreender na internet e se destacar em meio à concorrência, é preciso vender produtos ou serviços online de maneira segura e profissionalizada, formatar um site, ter um domínio e hospedá-lo em uma plataforma confiável. Entretanto, antes de investir em tecnologia, é preciso fazer uma revisão geral e derrubar mitos que só atrapalham o crescimento saudável e “pé no chão” que o universo virtual traz.

Muitos empreendedores pensam em transformação digital como um processo puramente tecnológico e voltado somente para grandes empresas. Não é o que se tem visto nos últimos dois anos com o crescimento do e-commerce. A digitalização, independentemente do tamanho do negócio, é cada vez mais essencial no mercado.

“Parece esquisito, mas a transformação digital não é possível sem pessoas mas, as pessoas certas. E o medo dos profissionais em um processo desses é perder o emprego. É uma preocupação legítima, que precisa ser trabalhada durante toda a implantação para evitar boicotes – inconscientes ou não”, explica Raquel Dalastti, head de produtos na Locaweb, empresa especializada em soluções digitais para PMEs (Pequenas e Médias Empresas). 

Além disso, vale investir em tecnologias consistentes e adequadas, minimizando problemas. De acordo com ranking de Commerce Digital de 2022 da EShopper, o baixo desempenho é uma das maiores causas de abandono do site: 47% dos consumidores esperam que um site seja carregado em 2 segundos, 53% dos usuários de celular abandonam um site que leva mais de 3 segundos para carregar e 80% dos consumidores dizem que um site lento é mais frustrante do que um site temporariamente inativo.

Com isso, como próximo passo, a especialista indica mapear as tecnologias e dispositivos que a empresa já dispõe e como são utilizados para melhorar o desempenho do negócio. “A partir daí, será mais fácil saber o que precisa ser atualizado ou trocado, quais serviços serão contratados, quais áreas serão priorizadas, em quanto tempo e, principalmente, dentro de qual orçamento”, explica a executiva. 

A especialista cita as tecnologias indicadas: 

  • Criar um e-mail profissional

A percepção do negócio online depende de detalhes importantes, como ter um site com o domínio de internet do seu negócio (www.nomedasuaempresa.com.br), o que também se aplica ao seu e-mail profissional (contato@nomedasuaempresa.com.br). Ter um e-mail com domínio gratuito como meio de comunicação pode gerar insegurança em possíveis clientes, que perceberão sua marca como principiante ou amadora. 

  • Espaço de armazenamento e banco de dados

Itens essenciais para quem vai empreender de maneira profissionalizada pela internet. A base de clientes e produtos crescerá de maneira exponencial e essas infraestruturas garantirão que tudo ocorra de maneira segura e ágil.  

  • Gestão de redes sociais

Para quem está começando agora, com recursos financeiros limitados, o ideal é fazer o simples bem-feito. É importante analisar quais são as redes sociais favoritas do público-alvo e em qual delas ele é mais suscetível a comprar. Supondo que a escolha foi o Instagram, uma plataforma de imagens e vídeos, será necessário, portanto, estudar um pouco sobre como fazer fotos e vídeos que sejam atraentes para seu consumidor. 

  • Identidade visual

Ter uma logomarca bem definida é importante para o reconhecimento das PMEs. Fazer postagem de fotos e vídeos por assunto e com calendário. Isso ajudará a criar relevância para o perfil. Também é importante, pois isso ajudará a extrair e analisar os relatórios que as redes sociais podem oferecer. Isso ajudará a entender o comportamento da audiência e será importante para desenvolver a comunicação. Existem ferramentas nas quais é possível, por exemplo, gerenciar as redes sociais.  

  • Links patrocinados

Ajudam a divulgar produtos e serviços para uma base selecionada. Pode ser usado para divulgar novas coleções, promoções, para impulsionar a marca, etc. Caso não tenha uma agência de comunicação para bolar uma estratégia de comunicação para o negócio, é necessário estudar mais o assunto antes de fazer esse investimento. 

  • Mostre autoridade no seu assunto

Seja qual for o setor, quem vende algo deve mostrar que sabe do que está falando. Por isso, é importante responder as perguntas da audiência, fazer postagens que transfira conhecimento de qualidade sobre o assunto da empresa e mostre como o produto ou serviço está carregado dessa experiência. 

  • Interação

Uma das características estruturais das redes sociais é a interação. Responder comentários, mensagens privadas e acessar perfis que o público frequenta para interagir lá também é importante para criar um relacionamento com o consumidor. “Procure ser original e de fato escrever suas respostas, isso faz parte do fortalecimento do seu perfil, que começará a dar indicativos da sua relevância para os algoritmos”, explica Dalastti.

Para conquistar mais conhecimento é essencial contratar serviços especializados, assistir vídeos, ler conteúdo especializado, pesquisar a concorrência, informar-se por podcasts, entre outros. “Empreender é estar em movimento constante”, finaliza a head de produtos da Locaweb.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.