Notícias Corporativas

Videotelemetria pode reduzir em até 50% os incidentes no trânsito

DINO
Escrito por DINO
Videotelemetria pode reduzir em até 50% os incidentes no trânsito
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

Reduzir acidentes, manter a segurança dos motoristas e diminuir gastos por imprudências no trânsito são algumas das preocupações de quem é responsável por algum tipo de frota. Afinal, uma gestão eficiente gera impactos diretamente nos resultados do negócio. De acordo com a Secretaria Nacional de Trânsito, o Brasil ocupa a quinta posição no ranking mundial de vítimas de trânsito. Em 2021, foram mais de 11 mil mortes no trânsito e o número de acidentes chegou a 632.764.

Já um estudo realizado em 2020 pelo Ministério dos Transportes, Portos e Aviação, indica que a principal causa de acidentes de trânsito no Brasil está ligada à negligência dos motoristas (53,7%). Desse percentual, 23,4% são decorrentes da falta de atenção e os demais (30,3%) ocorrem por infrações das leis de trânsito. E a imprudência ao volante também tem um alto custo: multas, perda da carteira nacional de habilitação (CNH) e até mesmo de vidas.

Dentro do setor logístico, a adoção de tecnologias pode ajudar a melhorar esses altos índices apontados, porque permite criar jeitos fáceis, em escala e de maneira automática de consolidar e analisar as informações da frota, ajudando a  prevenir e reduzir os acidentes. Um desses recursos é a videotelemetria, na qual são usadas as tecnologias IoT (internet das coisas), inteligência artificial e big data para identificar o comportamento de direção perigosa e distração. 

Como funciona a videotelemetria?

A videotelemetria consiste na instalação de câmeras no veículo para gravar tanto a visão da via quanto a da cabine. Ela registra eventos de direção perigosa como distração ao volante, proximidade insegura do veículo à frente, além da aceleração, curva e frenagem bruscas. A tecnologia ajuda a melhorar o modo de condução dos motoristas com alertas sonoros emitidos dentro da cabine em tempo real, que permitem mudanças de comportamento e aumentam a segurança.

O sistema também reconhece e envia automaticamente informações para uma plataforma online, que vai armazenar esses dados e dar visibilidade da operação ao gestor ou gestora da frota, mostrando os pontos de risco. A inteligência artificial faz o trabalho de identificar e encaminhar os momentos que devem ser assistidos e avaliados, transformando dados brutos em informação útil e relevante. Com isso, é possível criar planos de ação e direcionar feedbacks aos motoristas. O recurso possibilita gerir vários veículos ao mesmo tempo. 

De acordo com dados da Frost & Sullivan, a videotelemetria reduz em até 60% o número de colisões e, por isso, a adoção dessa inovação é uma das formas de prevenir acidentes e melhorar a segurança no trânsito.

Nos Estados Unidos já acontecem mais instalações de videotelemetria do que de sistemas mais básicos como GPS e rastreadores. “Câmeras já existem faz um tempo, mas com o desenvolvimento de novas tecnologias, elas ficaram muito mais inteligentes e acessíveis, o que permitiu seu uso em escala. Com isso, temos trazido grande contribuição às operações. Há casos em que, por exemplo, observamos redução de 80% de eventos de risco no modo de condução (como curva, aceleração e frenagem brusca). Além disso, também vimos uma queda de 25% do número de infrações por excesso de velocidade”, afirma o CEO e cofundador da Cobli, Rodrigo Mourad. Aqui no Brasil, o executivo estima ser possível evitar mais de 200 mil acidentes em frotas comerciais por ano com o uso das câmeras veiculares.

Redução de gastos

A videotelemetria possibilita identificar pontos de melhoria na operação. A tecnologia vai apontar as informações  que, de fato, são relevantes e precisam ser revistas e ajustadas para aquele negócio.  Por exemplo, a visibilidade do que está acontecendo permite entender se um excesso de velocidade ou frenagem foi devido ou não. A partir daí, é possível criar políticas de treinamento cada vez mais especializadas para desenvolver os principais pontos de condução de cada motorista.

Portanto, entre os ganhos do uso de câmeras de segurança veicular estão a redução com gastos com multas, queda de manutenções do veículo por causa de colisão e de gasto com combustível. A inovação é um diferencial competitivo nas empresas logísticas. A adoção da videotelemetria representa um importante passo nessa jornada.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.