Entrevista com o profissional Thiago Marques

Conte um pouco sobre você.

Sou natural do RJ, morador da zona norte, em um bairro chamado de água santa, pai formado em contabilidade, servidor público e mãe com ensino técnico de enfermagem e sevidora pública (merendeira do município do RJ).

Estudei grande parte da minha infância em colégios próximos a minha casa e particulares, contudo um ensino bastante ruim… chegando quase na época de vestibular, estudei no colégio MV1 no Méier e para a minha sorte, consegui estudar gratuitamente em um ótimo colégio, consegui uma bolsa de 100% no colégio Miguel Couto também no Méier, este colégio me deu toda a base para que eu conseguisse passar nos melhores vestibulares, as faculdades mais próximas a minha casa, Passei em Estatística na UERJ (Universidade Estadual do RJ e ENCE/IBGE (Escola Nacional de Ciências Estatísticas), no primeiro semestre e segundo semestres, respectivamente.

Fiz o primeiro semestre na UERJ, logo no segundo semestre escolhi ir para a ENCE e não me arrependo da escolha, foi fundamental para o meu crescimento profissional, conseguir estágio na Fundação Getúlio Vargas (FGV) no IBRE (Instituto Brasileiro de Economia) e na SETRAB (Secretaria de trabalho e Renda), grande parte dos ensinamentos devo aos meus excelentes professores na ENCE (Uma boa parte servidores do IBGE).

Conte como foi sua história com a área de dados, como começou, quais cursos fez e onde trabalhou.

Por formação, foi muito natural que todo Estatístico já esteja inserido na área de dados, desde a faculdade, uma vez que tudo que se faz com dados, é baseado em métodos estatísticos e matemáticos, desde a coleta das informações, tratamento das mesmas, análise e entendimentos dos resultados.

No instituto Brasileiro de Economia trabalhei bastante com números índices, modelagem de dados para precificação de produtos na cesta de bens do IPC (índice de preços ao consumidor) que tinham uma dependência tecnológica forte, como TVS, Geladeiras…

Fazíamos o ajuste das séries de preços que normalmente eram descontinuadas por terem uma mudança em alguma característica daquele bem, coletávamos os preços e as informações das características destes bens por meio da internet em sites como Casa Bahia, Ponto frio…) e realizávamos o ajuste do modelo para captar o ganho marginal daquela característica que houve a mudança, dessa forma prolongávamos a vida útil da série de bens daquela natureza, que antes eram descartadas pela incomparabilidade dos preços ao longo do tempo.

Logo depois trabalhei na UNICARIOCA (Um grande Centro universitário no RJ) e lá implantei a metodologia de modelos logísticos de retenção de alunos com o objetivo de subsidiar a diminuição da evasão escolar dos alunos da instituição, Elaborava Relatórios Gerenciais acerca da avaliação institucional, tanto na ótica dos docentes quanto infraestrutura e do perfil socioeconômico dos alunos da instituição e Manipulei Grandes Bases de Dados: por meio do software SPSS MODELER, trabalhei também com Excel e com a base de dados contendo informações acadêmicas, financeiras e socioeconômicas de todas as cinco unidades da UNICARIOCA.

Após pedir demissão da UNICARIOCA, trabalhei por conta própria prestando consultoria para Embrapa entre outros clientes e lecionando Estatística com aulas particulares e por skype, montei um curso de Estatística para concursos da receita federal, criei o Estathifisco na época, para ajudar os concurseiros da área fiscal em Estatatística, que veio mais tarde a ser o Estatidados de hoje e com foco em Estatística e ciência de dados para o mercado de trabalho.

Voltei ao mercado e Trabalhei na EY (Antiga Ernest Young) como Consultor (Advisory) fiz parte do time de Advanced Analytics, atuando na área de Advisory, trabalhando com data science, big data e modelagem Estatística. (Não posso dar mais detalhes por sigilo profissional) Mas lá eu trabalhei alocado em uma grande seguradora, com a base de dados que continham todos os hospitais do Brasil e com iniciativas de Fraude e precificação de doenças, identificação de pacientes crônicos.

Enquanto na EY, fiz o concurso do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) para (Analista Censitário – Métodos Quantitativos) e felizmente consegui entrar, fiquei bastante surpreso com a colocação em terceiro lugar, pois eu trabalhava bastante na EY e tinha pouco tempo para estudar, mas já havia estudado antes para o concurso de efetivo que infelizmente não logrei êxito.

No IBGE eu desenvolvi aplicativos em CSPRO para realizar questionários qualitativos das pesquisas das comunidades e povos tradicionais (Indígenas e Quilombolas) e aplicativo em R Shiny, com o objetivo de acompanhamento da coleta por meio de imagens de satélite do Google, por meio do pacote Leaflet, entre outros.. fui responsável por elaborar relatórios de avaliação das pesquisas de povos tradicionais e indígenas, na linguagem R, acerca de aspectos como: Acesso, saúde, qualidade do ensino, diversificação linguística, entre outros..e efetuar tabulações e gráficos das pesquisas: Desenvolvi um script para a tabulação do Censo Demográfico do IBGE de forma mais flexível e personalizável, em linguagem R.

Desde então eu realizei diversas palestras, entrevistas e treinamentos no Brasil todo, presencial e online contando a minha trajetória e a criação do Estatidados e da criação da minha Comunidade de Estatística.

Alguns Cursos Lecionados:

Senac RJ: Pós-Graduação em Big Data : Estatística e R – Professor Palestrante
Unisuam: Pós-Graduação em Ciência de dados com ênfase em Business Intelligence: Estatística e R – Professor
Pense-Excel: Curso Estatística e R (Modalidade EAD)
Comunidade de Estatística do Prof. Thiago Marques: Curso Estatística e R (Modalidade EAD)
SPOLM (Simpósio de Pesquisa Operacional e Logística da Marinha): Estatística e R
Imersive Learning: Curso Estatística + R
Casa da Pesquisa Operacional: Tomada de decisão sob incerteza e risco (Modalidade EAD)

Lecionei nos MBA´S:
Senac RJ: Pós-Graduação em Big Data e Estatítica e R – Professor Palestrante (2019) (PRESENCIAL)
Unisuam: Pós-Graduação em Ciência de dados com ênfase em Business Intelligence e Estatística e R – Professor (2019) (PRESENCIAL)
Unifor: MBA em Data Science – Curso Estatística + R (2020) (Modalidade EAD)
Unisuam: Pós-Graduação em Ciência de dados com ênfase em Business Intelligence e Estatítica e R – Professor (2020) (Modalidade EAD)
PUC RJ: Professor palestrante convidado na disciplina de Seminários de Ciência de Dados: Introdução a Estatística aplicada a Ciência de dados utilizando R, na MBA PUC Rio de Ciência de dados (2020)
(Modalidade EAD)
Unifor: MBA em Data Science – Curso Estatística + R (2020) (Modalidade EAD)
Unifor: MBA em Data Science – Estatística Descritiva, Cálculo das probabilidades, noções de amostragem e estimação, inferência Estatística e modelagem estatística (2021) (Modalidade EAD/Presencial)
Unifor: MBA em engenharia de dados – Curso Estatística + R (2021) (Modalidade EAD)
USP: MBA em Ciência de dados (2021) (Modalidade EAD)

Fui palestrante:
SEMEST UNICAMP (2018)
ENCE (2019)
BIG DATA BRASIL DAY (2019)
BIG DATA BRAZIL EXPERIENCE(2019)
MARINHA CASNAV (2019)
UNISUAM (2019)
Aiconference NVIDIA (2019)
LabTalks GLOBO (2019)
ENEAT (2019)
BIG DATA BRAZIL EXPERIENCE(2019)
SEMEST UFF (2019
MICROSOFT (2020)
SOUJAVA(2020)

Atualmente, estou como consultor no IBGE trabalhando com dados do Censo agropecuário com foco nos povos indígenas e em parceria FUNAI/IBGE e tenho a minha Comunidade de Estatística que tem foco em ensinar estatatística para o mercado de trabalho e a Casa da Pesquisa Operacional, que tem como objetivo trazer à tona novamente os velhos e bons métodos de Pesquisa Operacional, infelizmente um pouco esquecida e pouco aplicada nas empresas e com muito potencial de solucionar problemas do mundo real, junto ao grande professor Marcos dos Santos, que foi meu professor no Instituto Militar de Engenharia (IME)

Quais são as tecnologias que vão ter destaque em 2021 na sua opinião?

Os softwares livres, sobretudo as linguagens de programação R e Python, predominarão na minha opinião, as grandes empresas mesmo já se deram conta de sua importância na análise de dados e na ciência de dados como um todo, não dá para competir, comunidades fortes, colaborando no mundo todo, nas mais diversas áreas do conhecimento, proporcionando flexibilidade e personalização.

Aliado as capacidades das tecnologias na nuvem como da Amazon e Microsoft e ambas já vem adaptando suas tecnologias autorais cada vez mais com recursos que “falam” com opensource e os utilizam para potencializá-las, como Power BI, Azure Ml, Sage Maker, tableau, Data Bricks entre outras…

O que você recomenda que seja feito na área de analise de dados?

As empresas precisam ter a consciência que os dados gerados pela empresa, são integrantes do seu patrimônio, implantar a devida governança, processos que garantam a qualidade e manutenção dos mesmos, tratá-los como verdadeiros ativos e com base na legalidade imposta pela lei, em consonância com a lei de proteção dos dados, só assim a empresas serão de fato mais “Data Drivens” tomando decisões baseadas em dados, não mais em meras opiniões de especialistas. E que os mesmos, quando minerados e analisados, resultem em decicões melhores, que invistam nas profissionais como o Data enginner, analista de dados, cientistas de dados, engenheiros de machine learning entre outros.

Qual conselho você deixa para os novos profissionais deste mercado.

Foquem em fundamentos, a tecnologia é meio para que você consiga aplicar os fundamentos, ela é muitas vezes efêmera e os fundamentos são sólidos e de caráter contínuo. Dê valor a Matemática, Estatística, Pesquisa operacional e desenvolva sua habilidade de comunicação, compartilhe conhecimento, pense fora da caixa, monte o seu portfólio com projetos práticos reais, não se contentem com o famigerado “Sempre foi assim”, tenham uma eterna insatisfação boa, que vai lhes tirar da inércia sempre que vocês tenderem a se acomodar. Invistam na carreira de vocês, procurem os melhores profissionais que vão fazer que você crie atalhos para chegar onde desejam ou até mesmo a lugares que ainda nem imaginam que existam.

Observações e agradecimentos finais (fique livre).

Agradeço a oportunidade de realizar essa entrevista, espero que inspire de alguma forma, uma nova possível caminhada de vocês, leitores. Nos vemos nas redes sociais e no Estatidados,

Abraços,

Um comentário em “Entrevista com o profissional Thiago Marques

  • Avatar
    setembro 1, 2020 em 11:59 am
    Permalink

    Parabéns Tiago pela sua trajetória!! Desejo muito sucesso!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest