Notícias Corporativas

Copa 2022: aumento das apostas levam a reforço tecnológico

DINO
Escrito por DINO
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

A Copa do Mundo FIFA 2022 começa no próximo dia 20, com uma partida inaugural entre os donos da casa – seleção do Catar – e o Equador. Até agora, as apostas indicam a seleção do Brasil como favorita para triunfar no Catar, seguida de França e Argentina. Os Estados Unidos, por estarem na chave da Inglaterra – que ocupa, por ora, a quarta posição entre os favoritos – não estão entre os países que atraem grandes apostas. Além dos jogos, as apostas também recaem sobre quem será o artilheiro do torneio que acaba em 18 de dezembro.

A exemplo de várias partes do mundo, no Brasil os sites de apostas não precisam de licença para operar, já que o país ainda não possui uma regulação específica. Acredita-se que as licenças garantiriam mais segurança aos apostadores cadastrados nos sites de apostas online. Por enquanto, quem gosta de apostar tem de confiar nas avaliações de publicações esportivas e em novas tecnologias.

De acordo com a FIFA, o volume de apostas durante da Copa do Mundo da Rússia, em 2018, atingiu 136 bilhões de euros. Em média, o faturamento de cada partida durante o torneio no Leste Europeu girou em torno de 2,1 bilhões de euros. Já a final entre Croácia e França bateu a casa dos 7,2 bilhões de euros no mundo todo. Com seus parceiros de integridade, a FIFA identifica e analisa o comportamento e os padrões de apostas em várias competições internacionais de futebol, monitorando mais de 550 operadores de apostas em todo o mundo e gerando alguns alertas durante a competição.

Nos Estados Unidos, a explosão da indústria de apostas mostra que o negócio multibilionário é bastante popular e está sendo visto em setores surpreendentes. Exemplo disso é que o Washington Post lançou um guia de apostas esportivas. Também o canal de TV ESPN dedicou programas completos para apostas e probabilidades. E os usuários do TikTok, Twitter e Instagram continuam criando comunidades com foco exclusivamente em apostas esportivas de curto e longo prazo. Naquele país, o número de apostadores esportivos online em 2022 deve chegar a 19 milhões – com expectativas de crescimento em 2023, impulsionado pela Copa do Mundo FIFA do Catar.

Na opinião de Guilherme Terrengui, head de novos negócios da Sumsub no Brasil, América Latina e Ibéria, o crescimento das apostas online leva à necessidade de se investir em novas tecnologias para prevenir fraudes e fazer com que as plataformas de jogos mantenham a conformidade com os regulamentos. “Recentemente, foi lançado um guia para verificação de identidade para a indústria de jogos nos Estados Unidos e no Canadá. O objetivo é equilibrar conformidade, taxas de aprovação e proteção contra fraudes. No ano passado, a receita bruta de jogos se aproximou de 53 bilhões de dólares nos EUA. Embora essa indústria esteja crescendo na América do Norte, as plataformas precisam prestar ainda mais atenção na conformidade para evitar penalidades e multas”.  

Terrengui explica que o guia traz recomendações para fluxo otimizado de verificação de usuários, a fim de maximizar a automação de verificações, reduzir o tempo de espera, e reter mais clientes. Outra preocupação é a utilização dos documentos mais adequados ao processo de verificação. Por fim, é importante adequar os fluxos de verificação para diferentes segmentos de clientes com base em seus perfis de risco.

“Os princípios eficazes de integração e conformidade de usuários para plataformas de jogos e apostas online são simples de entender, mas difíceis de implementar. A chave para esse desafio é encontrar um provedor de verificação confiável, que ofereça não apenas soluções KYC e antifraude impecáveis, mas tenha experiência para personalizar os fluxos de verificação da melhor maneira possível”, avalia Terrengui.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.