Vendas globais de smartphones atingem 522 bilhões de dólares em 2018

A reivindicação de uma participação de 44% de smartphones, telefones celulares e wearables ainda é a força motriz no mercado de bens de consumo técnicos (TCG) de US$ 1,2 trilhão. Embora a demanda global por smartphones tenha caído três por cento em 2018, para 1,44 bilhão, as vendas continuam fortes e atingiram US$ 522 bilhões. Estas descobertas são divulgadas para coincidir com o Mobile World Congress 2019 em Barcelona.

As vendas globais de smartphones continuaram fortes em 2018, à medida que a tendência de alta continua a impulsionar o crescimento. Em números, isso equivale a um aumento de 5% (US$ 522 bilhões). No entanto, a demanda por smartphones em 2018 diminuiu em três por cento, para 1,44 bilhão de unidades vendidas em todo o mundo em relação a 2017. Os smartphones representam a maior parte do gasto total no mercado global de TCG no ano passado. Espera-se que isso cresça mais um por cento em 2019.

Os números do quarto trimestre de 2018 revelam uma tendência similar. Cerca de 375 milhões de smartphones (7% abaixo) foram vendidos em todo o mundo com um valor de vendas de US $ 144 bilhões.

Cerca de 12% (de nove por cento em 2017) dos smartphones vendidos custaram mais de US $ 800 em 2018. O segmento intermediário de US $ 150 a US$ 400 continua sendo um importante campo de batalha competitivo, representando 46% dos smartphones vendidos globalmente em 2018 (dois por cento acima dos 44% em 2017).

Entre países emergentes, Brasil lidera o uso de smartphones

Apesar de uma comparação um pouco difícil com um forte quarto trimestre de 2017, de outubro a dezembro de 2018, a escassez de inovação atraente continuou prolongando os ciclos de substituição e colocando o preço médio de venda (ASP) sob pressão. Como resultado, o ASP caiu dois por cento, para uma média de US$ 384.

Convergência tecnológica que permite experiências mais ricas

O estudo da vida do consumidor da GfK mostra que as tendências de consumo estão mudando quando se trata de posses. Não só eles “preferem ter menos itens, mas de qualidade mais alta”, que pagam preços mais altos por eles, mas “valorizam experiências mais do que posses”. Quer se trate de tamanho de memória, tamanho de tela maior ou uma câmera de múltiplos megapixels, essa inovação não acende a imaginação dos consumidores e estimula a demanda.

Os principais wearables permaneceram em uma forte trajetória de crescimento em 2018, com uma demanda anual de 16% e um valor de vendas de até 35%. A demanda foi impulsionada pela ascensão de smartwatches habilitados para SIM, que representam a maior parte do valor de vendas dentro da categoria de wearables Core. Os smartwatches habilitados para SIM foram responsáveis por 17% do valor de vendas de wearables Core, um aumento de 8% em 2017.

A demanda na Europa Central e Oriental e na Ásia emergente * está apenas compensando parcialmente o declínio na China

O mercado chinês consome a maior parte da produção global de smartphones, além de abrigar marcas locais cada vez mais globais. 40% da produção de smartphones das marcas chinesas em 2018 foi comprada fora da China, o que representa um aumento de 31% em 2016. O recente declínio da demanda na China no quarto trimestre de 2018 (menos 19% ano a ano) é pelo seu peso (27% em valor de vendas) tendo um impacto significativo nos números globais. A demanda continuada na Ásia emergente* (mais 13% ano a ano) e na Europa Central e Oriental (mais 3% ano a ano) compensou parcialmente a queda na China no 4T 2018.

 

 

 

 

 

 

 

The post Vendas globais de smartphones atingem 522 bilhões de dólares em 2018 appeared first on IPNews – Comunicação Interativa.

Pin It on Pinterest