Notícias Corporativas

UX Design: segmento é um dos mais cobiçados por talentos de tecnologia

DINO
Escrito por DINO
UX Design: segmento é um dos mais cobiçados por talentos de tecnologia
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

O mercado de tecnologia segue em alta ao redor do mundo. Segundo previsões da IDC para 2022, o setor de TI deve crescer 10,6% até o fim do ano e, diante disso, crescem também as demandas para UX Designers – uma área bastante promissora para desenvolvedores de aplicações para web e dispositivos digitais. Em função dessa ascensão da profissão e a vasta oferta de oportunidades de trabalho que ela apresenta, os salários se tornam mais atrativos e as empresas possibilitam o trabalho remoto como forma de captar mais talentos de todo o mundo.

“Muito tem se falado sobre a área de UX Design na tecnologia. Atualmente, essa é uma das ocupações mais procuradas por talentos que desejam entrar no mercado de trabalho da tecnologia, principalmente por ela permitir que o profissional utilize ao máximo a sua criatividade e imaginação, provocando entusiasmo e anseio naqueles mais determinados a iniciar a carreira”, comenta Alvaro Oliveira, Chief Network Officer na Andela, uma marketplace global de talentos técnicos remotos.

De modo geral, UX Designer é o profissional responsável por garantir que o usuário final de um produto ou serviço tenha a melhor experiência de uso a respeito dele. Em outras palavras, ele deverá imaginar uma jornada de usabilidade completa que permita que o consumidor interaja com o produto de maneira lógica e fluida do começo ao fim, contemplando diversas competências ao longo do processo de desenvolvimento, como Storytelling, Design Thinking e Arquitetura da Informação.

Plataformas difíceis de usar ou com visual pouco atraente fazem com que o consumidor perca o interesse em utilizá-las, sendo necessário que o profissional de UX Design entenda os problemas de interface e usabilidade por meio de pesquisas, análises métricas e dinâmicas colaborativas. “Mas engana-se quem pensa que o UX Designer só deve se preocupar com o visual e as funcionalidades que o produto apresentará. Ele também deve realizar entrevistas com pessoas usuárias para entender as necessidades de cada aplicação, identificar os pontos de melhoria e construir o mapa da jornada de experiência com maior eficiência e qualidade”, explica Oliveira.

Para entrar na área de UX Design, o profissional precisa ter conhecimento e dada experiência em programação e desenvolvimento de software e aplicações. A partir disso, é possível realizar uma transição para esse nicho do mercado por meio de cursos de especialização em Web Design, UX e UI – considerados cruciais para quem procura se desenvolver na área. Com determinada capacitação técnica e atualização em relação às características do mercado, é possível iniciar estágios, trabalhos freelances ou projetos fictícios para a construção de um portfólio que possibilite o avanço na carreira.

Embora tenha origem muito antes da era digital, o UX Design tem crescido bastante ao passo que a tecnologia evoluiu e o mercado de TI se expandiu, fazendo dessa uma área essencial e muito valorizada para o desenvolvimento de soluções digitais. Considerado um dos profissionais do futuro, o UX Designer possui um amplo mercado de trabalho à sua volta, possibilitando o crescimento da carreira por meio de oportunidades de trabalho remoto em empresas de todo o mundo.

“Há empresas no mercado que podem auxiliar os talentos a encontrar vagas em UX Design e para diversos outros cargos e ocupações em tecnologia por meio da utilização de algoritmos orientados por dados para obter recomendações de match inteligente de acordo com as vagas que melhor se encaixam no perfil dos candidatos”, finaliza Oliveira.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.