Notícias Corporativas

Uso de telemetria em gestão de frotas agrega segurança

DINO
Escrito por DINO
Uso de telemetria em gestão de frotas agrega segurança
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

Termo cuja origem vem do grego, sendo composto por “tele” (remoto, em português) e “metron” (medida, em tradução livre), a telemetria consiste na transmissão de dados à distância. O conceito surgiu em 1912 para monitorar redes de telefonia e transmissão de dados, chegando ao setor automotivo da Fórmula 1 nos anos 90, com o objetivo de otimizar a direção do piloto e melhorar a performance do automóvel. Atualmente, o setor de aluguel de frotas se beneficia desta tecnologia para controlar hábitos dos condutores, identificar situações de risco e verificar pontos de melhoria, garantindo, assim, maior seguridade durante o trajeto, ajuste de gastos com base nas estatísticas e competitividade na entrega de informações transparentes para o cliente. 

Nas corridas de Fórmula 1, a telemetria ajuda a evitar acidentes automobilísticos em milésimos de segundos. As informações recolhidas, como velocidade, distância percorrida, localização, consumo médio de combustível, temperatura do sistema mecânico, permitem que procedimentos sejam realizados de forma muito mais rápida, eficiente e econômica.

Por ser uma tecnologia assertiva, constante e com entregas em tempo real, ela torna a gestão de frotas mais eficiente. Dessa maneira, a capacidade de tomada de decisões rápidas, estratégicas e precisas resulta em uma empresa mais competitiva e com maior economia devido a agilidade dos processos. 

Para a locadora, a importância em se ter toda a sua frota conectada é poder acompanhar o histórico de cada veículo, podendo se antecipar à manutenção e melhor planejar a desmobilização. Conhecer, em tempo real, a rodagem de sua frota é fator essencial para ela, que pode até mesmo se adiantar, junto ao cliente, em renegociações de contrato pelo uso acima da quilometragem contratada, evitando desgastes de relacionamento no momento da renovação da frota. 

Segundo Claudio Medeiros, gerente de parcerias da Golfleet, “o principal ponto para a locadora em ter o carro conectado com uma tecnologia de ponta é a fidelização com a sua carteira”, sendo esta fidelização resultado da união entre a locação com o serviço de telemetria e a gestão de frota. O ‘saving’ operacional que o cliente da locadora percebe, nesse sentido, é muito maior que o ‘desconto’ na contratação de um rastreador sem potencial de gestão.

Vantagens do uso de telemetria 

O setor de locação vem passando por enorme transformação nesta retomada do mercado pós-pandemia, com o aumento da entrada de veículos para locação e a briga pelo preço ofertado. Isso ocorre de forma acentuada, de acordo com Medeiros, por conta das aquisições de grandes grupos, que ganham força de negociação com as montadoras. Por conta disso, o executivo explica que a entrega do “casco”, de maneira simples ou com um rastreador de baixo custo, pode até conceder dados de localização para a locadora fazer a recuperação deste bem, em caso de roubo, “mas não é o suficiente para fidelizar sua carteira”. 

Entretanto, a escolha de um serviço de telemetria de alta performance neste mercado ainda é percebido apenas como um custo. Desse modo, o especialista apresenta uma visão alinhada com a situação atual do mercado de locação, em que a concorrência pelo preço do “casco” (locação) tem sido agressiva e em alguns momentos considerada desleal. Com isso, algumas locadoras vêm se destacando com a entrega de uma tecnologia com maior valor agregado, porém oferecendo a possibilidade de alta recuperação em custos operacionais (saving) a seus clientes.

Para ele, “as empresas de locação acabam entregando uma tecnologia ‘mais cara’, com resultados, a partir dos serviços agregados, potencializados com redução no risco de dirigibilidade e consequente saving”, atendendo a pelo menos dois dos três pilares do ESG: o Social, com o zelo à vida e redução do risco de acidentes; e o Meio Ambiente, com a redução de emissão de gases e troca de peças de maneira antecipada por conta de desgaste causado em direção inadequada.

O uso mais avançado de telemetria também permite o acompanhamento de rodagens, favorecendo a gestão de contratos e cobrança de quilômetros excessivos; a consulta do histórico dos riscos aos quais os veículos possam ter sido expostos, para um serviço de revisão consultiva; a gestão de frotas, com suporte direto com o fornecedor, para melhor entendimento das demandas e apoio no entendimento dos dados; a exposição de relatórios personalizados e automáticos, seja para a gestão da locadora, seja para aproximação com seu cliente, com dados importantes sobre o uso dos veículos e histórico de dirigibilidade de seus condutores; a apresentação de soluções sob medida para a particularidade de cada cliente; e o planejamento assertivo de contratos e gestão de manutenção por período e demanda.

Mais segurança nas estradas

Em 2020, segundo o Painel de Consultas Dinâmicas de Acidentes Rodoviários da Confederação Nacional de Transporte (CNT), foram registradas mais de 63 mil ocorrências nas rodovias brasileiras, sendo 24.066 causadas por falta de atenção. Esses números comprovam a necessidade de ações para reduzir os acidentes e a importância do uso de novas tecnologias como aliadas na prevenção dos riscos, cuidados com a carga e preservação de vidas.

Para o cliente da locadora, a telemetria é essencial para o entendimento do perfil de dirigibilidade de seus condutores, medindo sua segurança e potencial de riscos a partir de parâmetros definidos de acordo com as diretrizes da empresa, ou seja, sua política de frotas. De acordo com o especialista, “o controle dos excessos de velocidade a cada trecho de via eleva substancialmente a segurança do condutor”. 

Ele também destaca que outro fator de grande importância na gestão de frota, a partir da telemetria conectada ao carro locado, é o controle de abastecimento que, “a partir da integração de dados das diversas plataformas de mercado, permite analisar as médias de consumo por tipo de combustível, veículo, condutor ou grupos”. 

Com a telemetria também é possível identificar o risco a fraudes na gestão de abastecimento, ao se confrontar o local de abastecimento com o posicionamento do veículo naquele mesmo instante.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.