Notícias Corporativas

Quase 22% das empresas de tecnologia não têm sustentabilidade como foco

DINO
Escrito por DINO
Quase 22% das empresas de tecnologia não têm sustentabilidade como foco
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

Estudo feito pela Schneider Electric, em parceria com a 451 Research, apontou que 22% das empresas de tecnologia não abordam as ações sustentáveis como prioridade, embora possam ter iniciativas de eficiência para melhorar áreas específicas de operações. 

A pesquisa foi realizada com 1.100 profissionais responsáveis pela área de TI e concluiu, ainda, que 26% das companhias se identificaram como proprietárias de um programa completo de sustentabilidade que engloba toda a infraestrutura. No entanto, apenas 14% estão tomando iniciativas para implementar os programas. 

Foram consideradas para a obtenção de dados ações de sustentabilidade dentro de empresas de Tecnologia da Informação (TI) e data centers. Com isso, foi analisado o estágio das mesmas em relação a “alcançar a visão de descarbonização”. Além do estudo com a 451 Research, a Schneider Electric lançou mais dois outros levantamentos independentes – também voltados para o mesmo público e objetivos.

Os outros dois foram em parceria com a Forrester e com a Canalys. Dessa forma, foram obtidos dados de mais de 3 mil participantes, incluindo os maiores fornecedores de colocation e nuvem, de soluções de TI e profissionais de empresas de diversos segmentos. No geral, os resultados demonstram consistentemente que há discrepância entre onde as empresas consideram que estão evoluindo nesse tema e como, de fato, implementam programas de sustentabilidade em sua infraestrutura. 

“Os data centers desempenham um papel crítico na condução da Eletricidade 4.0, que acreditamos ser a chave para mudar a trajetória das mudanças climáticas”, afirma Pankaj Sharma, vice-presidente executivo da unidade Secure Power da Schneider Electric. “A pesquisa comprovou que a sustentabilidade precisa ser priorizada pela indústria, mas ainda existem desafios que podem ser superados por meio de um esforço colaborativo. A boa notícia é que a tecnologia para agir em sustentabilidade já existe no mercado.”

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.