Notícias Corporativas

Pesquisa mostra que 88% das identidades brasileiras falsificadas são impressas

DINO
Escrito por DINO
Pesquisa mostra que 88% das identidades brasileiras falsificadas são impressas
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

A Sumsub, empresa de tecnologia sediada no Reino Unido dedicada ao combate à lavagem de dinheiro e fraude online, publicou hoje os resultados de seu novo estudo. A pesquisa ocorreu entre 2021 e 2022 e teve como foco a fraude de identidade e a regulação PLD (prevenção à lavagem de dinheiro) no Brasil.

Para esse relatório, a Sumsub combinou estatísticas anônimas de 4,3 milhões de verificações realizadas no Brasil com insights de especialistas jurídicos e antifraude – que incluem análises de especificidades regulatórias, tipos de fraude e métodos de detecção. A equipe de análise da Sumsub examinou mais de 50.000 tentativas de fraude em 19 setores.

O Brasil é um dos países que mais contribuem para a fraude online – bem como um dos mais infectados por malware e um dos maiores produtores de spam, vírus trojan e phishing. A fraude de identidade online está aumentando, e supostamente está afetando seriamente os mercados brasileiros e as empresas estrangeiras que operam no país. A pesquisa examina os padrões de fraude no mercado de verificação de identidade do Brasil com levantamento das principais práticas e estatísticas. Alguns resultados merecem destaque.

Os dados analisados ​​sugerem que 80% das tentativas de fraude de identidade no Brasil ocorrem na etapa de verificação de identidade. Já a verificação de comprovante de endereço (PoA) representa quase 15% de todas as fraudes. Trata-se de uma etapa obrigatória para todas as empresas reguladas pelo Banco Central (Bacen) e pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Contas de energia elétrica e telefone, além de extratos bancários, são aceitos principalmente como comprovante de endereço, e os fraudadores inserem dados falsos (nome, data de emissão e endereço) nesses documentos para falsificá-los. Os 5% restantes de fraude referem-se a deepfakes, máscaras e vídeos pré-gravados usados ​​por fraudadores para burlar verificações de prova de vida e selfie.

De acordo com os especialistas da Sumsub, o tipo de fraude de identidade mais popular no Brasil é a sintética. Ou seja, combina dados reais e falsos para fabricar uma identidade que será usada no cadastramento de diversos serviços online. Outros tipos comuns de fraude incluem roubo de dados, notas/boletos bancários falsificados, fraudes no uso de cartão de crédito (empréstimo do cartão ou não reconhecimento de compra efetuada) e financiamento bancário com documentos falsos.

Ao examinar mais atentamente os documentos de identidade brasileiros, o estudo constatou que o passaporte é duas vezes mais propenso à fraude do que o RG (1,2% de todos os passaportes têm sinais de falsificação em comparação com 0,6% de todos os RG), enquanto as carteiras de motorista são menos propensas a serem falsificadas (apenas 0,18% das falsificações). A maioria absoluta (87,5%) das identidades brasileiras falsificadas são apenas impressos (com uso de editores gráficos), destacando a alta participação de tentativas amadoras de fraude no país. As falsificações de identidade física (adulterações feitas diretamente em documentos existentes) vêm em segundo lugar (7,5%), e as falsificações de identidade digital representam cerca de 5%.

Ao tentar burlar a verificação, os fraudadores usaram aplicativos de desktop com mais frequência do que de tablets e smartphones: 0,8% do total de sessões da Web foi marcado como tentativa fraudulenta, em comparação com 0,5% das sessões móveis. Vale ressaltar que os fraudadores não têm preferências entre sistemas Android e iOS em termos de dispositivos utilizados.

Investimentos e pagamentos são os dois segmentos mais propensos a fraudes no Brasil, destaca a pesquisa. As indústrias de criptomoedas, jogos de azar e comércio também sofrem com fraudes, embora em menor grau. As descobertas devem dar às empresas que operam no Brasil uma compreensão clara dos riscos locais de fraude e como lidar com eles. A Sumsub conclui o relatório com várias recomendações sobre como reduzir a fraude de identidade ao fazer negócios no Brasil.

“Há mais de cinco anos a Sumsub cadastra novos clientes do Brasil nos sistemas de clientes internacionais. Isso nos permitiu melhorar significativamente o tempo médio de verificação para usuários locais – reduzindo de mais de três minutos no primeiro semestre de 2021 para menos de um minuto em 2022. Quanto às taxas de aprovação de usuários, atingimos mais de 90% de conversão no Brasil. Embora seja importante manter a velocidade de verificação e as taxas de aprovação altas, impedir a entrada de fraudadores não é menos crucial”, diz Andrew Sever, cofundador e CEO da Sumsub.

Guilherme Terrengui, Head of LATAM da Sumsub no Brasil, acrescenta que, para combater efetivamente a fraude no país, é recomendável que antes de tudo as empresas escolham um parceiro KYC/PLD decente para conhecer exatamente quem é o cliente e evitar lavagem de dinheiro.

“É fundamental se certificar de que o provedor seja capaz de validar documentos do usuário via Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), realizar verificações biométricas faciais (prova de vida) para garantir que os usuários estejam presentes real e fisicamente durante a verificação, além de rastrear sinais de risco comportamental. Também há uma série de tecnologias antifraude que devem ser aplicadas para avaliar rapidamente a autenticidade dos documentos e detectar quaisquer características suspeitas, como sinais de falsificação física ou edição gráfica”, diz Terrengui.

As tecnologias internas baseadas em inteligência artificial (IA) da Sumsub permitem que os clientes empresariais permaneçam em conformidade com os regulamentos locais e globais.  Ainda com relação a taxas de conversão globais, por exemplo, a empresa demonstrou 91,64% nos EUA, 96,37% na Argentina e 94,16% no México. Estudos de caso com Nicehash e CakeDefi podem ser livremente acessados.

O Relatório de Fraudes de Identidade Brasil 2022 da Sumsub pode ser acessado neste link.

Arte:https://drive.google.com/file/d/1sE3oEzIWexOVT2GpBMl-Avd8ICf_ph8l/view?usp=sharing

 

 

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.