Notícias Corporativas

Penalização de site com conteúdo de baixa qualidade pode durar meses, diz Google

DINO
Escrito por DINO
Penalização de site com conteúdo de baixa qualidade pode durar meses, diz Google
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

O Google revelou recentemente detalhes sobre sua Política de Conteúdo, incluindo informações sobre penalização por conteúdo de baixa qualidade. Segundo o último vídeo de SEO office-hours, um site que sofrer restrição por conteúdo superficial ou spam pode levar meses para ser reavaliado por ações algorítmicas, a fim de que volte a funcionar sem penalizações. 

Há pouco tempo, a Googler Aurora Morales, responsável pelo Ensino de Políticas para Editores no Google, também reforçou em vídeo que um site deve atender às políticas e oferecer conteúdo exclusivo e relevante para os seus usuários, sob pena de sofrer restrições no ranqueamento e monetização das páginas.

“Embora os conteúdos, monetizado e orgânico, funcionem de formas diferentes, os sites que não atendem às diretrizes de monetização e pesquisa orgânica podem ser removidos do índice da Pesquisa e ter seus anúncios desabilitados”, explicou Aurora.

As políticas do Google são atualizadas frequentemente com o intuito de aprimorar o ecossistema de publicidade digital e deixá-lo mais saudável, confiável e transparente, de forma que funcione para usuários, anunciantes e editores. Embora as diretrizes impactem toda a indústria, elas se tornam ainda mais relevantes para donos de site que monetizam seus conteúdos através de anúncios. Afinal, violar uma das regras de conteúdo do Google pode gerar restrições ou até mesmo no banimento do site, o que implica para muitos publishers não só a perda de receita, mas de todo o negócio.

Principais políticas de conteúdo

Em razão de seu compromisso com o ambiente da publicidade digital, o Google tem implementado políticas mais rígidas nos últimos meses. Essas alterações, inclusive, resultaram na restrição de anúncios e até banimento de diversos sites no último trimestre de 2022, conforme explicou Valerie Ann, líder do time de Compliance da MonetizeMore — empresa de AdTech, parceira certificada do Google.

Valerie conta que as violações que mais causaram restrições de anúncios foram as relacionadas a veiculação de materiais protegidos por direitos autorais, promoção de conteúdos adultos, anúncios posicionados de maneira inadequada, tampando o conteúdo, conteúdo de baixa qualidade, além de atividade inválida. 

“É importante que editores mantenham o conteúdo do seu site atualizado, exclusivo e relevante, pois isso ajuda os mecanismos do Google a atualizar seus resultados de pesquisa. Também é primordial que os anúncios sejam implementados de maneira amigável e de acordo com as diretrizes de publicidade para editores. Nesse caso, um parceiro de monetização pode ser bastante efetivo”, aconselha. 

Atualmente, os publishers já conseguem usar tecnologia para proteger um site contra qualquer possível violação às políticas do Google, como às relacionadas ao tráfego inválido, qualidade de conteúdo e configuração e posicionamento de anúncios, por exemplo. Há plataformas de AdOps disponíveis no mercado capazes de diagnosticar, monitorar e corrigir problemas com os anúncios a fim de proteger e escalar as receitas dos donos de site. 

Para saber mais, basta acessar: https://pt.pubguru.com/

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.