O DDDM (Data Driven Decision Management) irá transformar as empresas

DDDM é a sigla que representa a palavra Data Driven Decision Management, ou em português Gerenciamento de Decisão orientada por dados.

Em outras palavras, é um processo onde a maioria das decisões (senão todas) são tomadas através da análise de dados concretos e não apenas em observações ou intuitivamente. Estes dados são precisos, concisos e podem ser acessados facilmente através de ferramentas próprias. Como exemplo, um gestor não tem autonomia para demitir um profissional de alta performance (que os dados mostrem isso)

Este tipo de ação se tornou muito comum na indústria, no transporte e também na medicina. Isso se deve principalmente ao alto grau de assertividade dos dados proporcionado pelo grande avanço da tecnologia.

No entanto, o sucesso dependerá exclusivamente da qualidade dos dados coletados e da análise e interpretação dos mesmos. Vale lembrar que hoje em dia as empresas possuem muitos dados, mas o que acontece na maioria das vezes é que elas ou não sabem os dados que tem ou não sabem como usar os dados.

O avanço do DDDM

O processo de tomada de decisão baseada em dados não é algo novo, só não era muito conhecido e tão pouco incentivado devido à dificuldade que os gerentes comerciais tinham para ter acesso aos resultados.

Isso porque era necessário ter um especialista com vasta experiência em banco de dados e data warehouse para extrair as informações, passá-las para o setor de TI, e este transformá-los em uma linguagem mais simples, para só então repassar ao gerente.

Hoje, a situação é outra. Com a criação de ferramentas inteligentes, qualquer pessoa pode acessar e coletar os dados sem qualquer interferência do departamento de TI. Algumas empresas criaram o conceito de Business Intelligence pessoal e isso facilita muito a tomada de decisões.

Elas são tão eficientes que os gerentes podem programá-las para mostrar somente os dados que eles precisam em tempo real e completamente facilitados, de forma que qualquer pessoa pode compreender mesmo que não tenha qualquer experiência em tecnologia.  Assim, a tomada de decisões pode ser feita baseando-se totalmente neles.

O objetivo do DDDM

O gerenciamento de decisões orientado por dados geralmente é realizado com o objetivo de obter vantagem competitiva.

Atualmente, se alguém quiser saber como um determinado produto pode funcionar em um mercado, o que o cliente pensa sobre um slogan ou ainda onde implantar novos recursos, o software de suporte a decisões pode ajudar a determinar os próximos passos.

O desafio de transformar dados do DDDM em informação

Mesmo com a facilidade existente hoje no processo de interpretação de dados através de ferramentas, as empresas ainda esbarram em um grande problema: a dificuldade de transformar estas informações em tomada de decisões e procedimentos importantes para a empresa, uma vez que poucas pessoas possuem esta habilidade no mercado.

A interpretação e transformação dos dados é extremamente necessária para saber como aplicar e reformular os dados, além de ponderar de forma objetiva sobre quais deles podem ser úteis e qual a melhor forma de obtê-los, integrá-los e “limpá-los” através da realização de uma análise sólida e objetiva.

Aquelas que conseguem e aplicam, levam as instituições as quais trabalham a aumentar consideravelmente a produtividade e o lucro em pelo menos 4% de acordo com dados de uma pesquisa feita pelo MIT Center for Digital Business, um centro de pesquisas sediado na MIT Sloan School of Managementem Cambridge, Massachusetts.

O melhor neste caso é treinar alguém que já possui certa habilidade, ou buscar um profissional que consiga trazer retorno para a empresa.

Criando a cultura de DDDM (tomando decisões com base em dados)

A primeira ação (e mais difícil) é desestimular decisões que não sejam baseadas em dados. Os executivos são os principais patrocinadores deste comportamento e procurar sempre ser o exemplo. Dashboards de gestão a vista e BIs são ferramentas essenciais para isso, mas elas devem ser disseminadas até a operação. Todos precisam ter seus painéis de gestão a vista. Critérios e protocolos também são ferramentas essenciais para ajudar a tomada de decisões e aumentar a produtividade. Como exemplo: O que fazer quando um lote de produtos tem uma qualidade abaixo do esperado? Quando um funcionário deve ser promovido? Quando acionar um plano de recuperação? Estes são simples exemplos de que o DDDM pode ajudar. E quando se é implantado de forma corporativa, os benefícios são muito maiores pois pode-se chegar as Organizações que tomam decisões com base em dados.

O DDDM é um fator importante para uma empresa que quer crescer e está buscando novos horizontes, produtividade e principalmente longevidade. Ainda é pouco comum no Brasil, mas as multinacionais estão trazendo essa prática de fora e consequentemente criando a cultura.

Post Original:https://olhardigital.com.br/colunistas/washington-souza/2018/12

Pin It on Pinterest