Notícias Corporativas

Número de inadimplentes bate recorde segundo CNC

DINO
Escrito por DINO
Número de inadimplentes bate recorde segundo CNC
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

De acordo com a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), feita pela CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo), 79% dos lares brasileiros estavam endividados em agosto de 2022.

Além disso, a pesquisa mostra que 29,6% das famílias possuem atrasos nos pagamentos de contas de consumo ou dívidas. E mais, 10,8% dos que possuem dívidas acreditam que não será possível efetuar o pagamento e devem permanecer inadimplentes.

No varejo, 19,4% das famílias possuem dívidas em carnês e cartões das lojas. De acordo com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, isso acontece porque as famílias têm procurado alternativas ao cartão de crédito por conta da elevação dos juros.

As consequências da inadimplência são severas, principalmente para micro e pequenas empresas. “Essas empresas (PMEs) operam normalmente com o caixa apertado e não possuem profissionais especializados em cobrança”, explica Leonardo Assuane Duarte, fundador do Recuperador CRM, empresa que atua em sistemas para cobrança de dívidas.

“Boa parte das PMEs não prioriza a atividade de cobrança, uma vez que muitas estão trabalhando com equipes reduzidas, ou não possuem estrutura para tal. Imagine um psicólogo tendo que ligar para seus pacientes para cobrar as consultas atrasadas. É bastante inconveniente para o profissional”, pontua Leonardo.

Leonardo acrescenta que, diante das dificuldades encontradas na recuperação de crédito, algumas empresas têm buscado terceirizar a atividade de cobrança. Ele afirma que as empresas especializadas em cobrança atuam em três pilares: 

1 – Especialização

O foco exclusivo na atividade de cobrança. Os consultores de cobrança possuem expertise na atividade, incentivos, treinamento e mais motivação do que a equipe do financeiro das PMEs.

2 – Economia

Normalmente a remuneração das empresas de cobrança é um percentual sobre o sucesso da recuperação das dívidas, o que não gera custos extras para a empresa e pode até aumentar o fluxo de caixa.

3 – Melhor gestão do tempo da equipe

Assim como toda terceirização, ela visa ganhos de tempo na atividade, liberando a equipe para outras mais prioritárias.

Para concluir, o fundador do Recuperador CRM destaca que é necessário tomar alguns cuidados ao contratar uma empresa para atuar na cobrança. “Não basta apenas recuperar o valor devido, mas também, deve-se recuperar o cliente, para que ele volte a fazer negócios com a empresa. Para isso, é importante acompanhar a forma como a cobrança está sendo feita e sugerir ajustes, se for o caso”, recomenda.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.