Notícias Corporativas

Fabricantes e empresas ligadas à tecnologia adotarão o Wi-Fi 6 até final de 2022

DINO
Escrito por DINO
Fabricantes e empresas ligadas à tecnologia adotarão o Wi-Fi 6 até final de 2022
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

De acordo com o WBA Annual Industry Report de 2022, realizado pela Wireless Broadband Alliance, 83% dos provedores de serviços, fabricantes de equipamentos e empresas em todo o mundo terão ou planejam implantar o Wi-Fi 6 até o final de 2022. O motivo? A sexta geração de internet sem fio permite conexões 40% mais rápidas do que a anterior, além de mais consistentes e confiáveis. A pesquisa também mostra que 58% dos entrevistados afirmaram que o Wi-Fi 6 é crítico ou muito importante para o desenvolvimento de suas estratégias. 

Segundo a 33ª edição da Pesquisa do Uso de TI nas Empresas, feita pela FGVcia em 2022, existem 447 milhões de dispositivos digitais, entre 205 milhões de computadores e 242 milhões de smartphones, em uso no Brasil – mais que o dobro do número de habitantes no país, estimado em 212,7 milhões pelo IBGE. 

Os dados apenas comprovam a realidade: a cada ano existem mais pessoas conectadas no Brasil. Com essa crescente, os serviços de internet nas empresas, e até nas residências brasileiras, são cada vez mais exigidos. Dentro deste cenário, o investimento na sexta geração de internet sem fio se concretiza como um caminho para proporcionar uma melhor experiência na internet, permitindo mais velocidade e até que mais dispositivos utilizem a rede ao mesmo tempo sem perder a qualidade de conexão.

“De maneira didática, o Wi-Fi 6 aproveita melhor as ondas de rádio que são transmitidas pelos dispositivos e, assim, permite que mais equipamentos se comuniquem ao mesmo tempo, reduzindo o tempo de espera”, esclarece Vitor Munhoz, gerente de Produtos da Zyxel Brasil, multinacional na área da tecnologia. 

Mas quais são os efeitos no dia a dia? Os aspectos citados acima significam que alguém pode assistir a um filme na Netflix ao mesmo tempo que outra pessoa joga um novo game on-line ou navega pelas redes sociais no smarthphone sem que a velocidade da internet diminua ou a conexão apresente instabilidade – no bom português: fique caindo ou falhando. Isso também serve para as empresas que realizam grande quantidade de trabalho e tráfego de dados por meio da nuvem.

Outro recurso que vem para otimizar ainda mais o Wi-Fi 6 é a tecnologia Mesh. Ela consiste em uma série de módulos, chamados de extensores, instalados no ambiente, formando uma malha interconectada por antenas. Isso permite que o sinal de internet seja distribuído uniformemente por toda a casa ou empresa sem perder a velocidade e conexão. 

“Enquanto circulamos pelo local, o dispositivo irá selecionar de forma automática qual a melhor opção de conexão possível. Isso significa que podemos assistir um vídeo ou continuar em uma ligação pela internet enquanto andamos pela casa sem nos preocupar em perder a conexão”, explica Vitor Munhoz. 

A palavra-chave para determinar o que a população procura é qualidade de experiência, um serviço que ofereça o melhor custo-benefício e retorno do investimento ao usuário – e essa é a proposta do Wi-Fi 6 aliado à tecnologia Mesh, que trabalha para fortalecer e ampliar a conexão à internet.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.