Notícias Corporativas

Estudo investiga as percepções sobre trabalho no metaverso

DINO
Escrito por DINO
Estudo investiga as percepções sobre trabalho no metaverso
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

Desde que ganhou as manchetes, há alguns anos, o metaverso – espaço coletivo e virtual compartilhado de realidade virtual e aumentada – tem recebido a atenção e os investimentos de iniciativas de todo o mundo, inclusive no Brasil. Segundo uma projeção da Bloomberg Intelligence, a oportunidade de mercado para a inovação pode atingir US$ 800 bilhões (R$ 4,3 trilhões) até 2024. Aliás, o Bank of America incluiu o metaverso em sua lista de quatorze tecnologias que devem revolucionar a vida da sociedade.

Atenta a este fator, a ExpressVPN, provedora de serviços de VPN, desenvolveu um estudo nos Estados Unidos a fim de explorar as opiniões de funcionários e empregadores sobre o trabalho neste ambiente. Como resultado, os dados da pesquisa “O medo da vigilância no trabalho dentro do metaverso” revelam divisões entre trabalhadores, empresas e gerações.

A ExpressVPN entrevistou 1.500 funcionários e 1.500 empregadores nos Estados Unidos. Harold Li, vice-presidente da ExpressVPN, afirma que a empresa buscou entender melhor as expectativas e sentimentos sobre um potencial local de trabalho no metaverso. “De forma conjunta, esse grupo oferece um vislumbre de como empresas e funcionários se veem trabalhando nesse ambiente. As conclusões da pesquisa foram surpreendentes”.

A seguir, a reportagem organizou as considerações do vice-presidente da empresa a respeito das principais conclusões do levantamento em questão:

Aumento de produtividade

O estudo demonstrou que os avanços tecnológicos aumentaram a produtividade e promoveram conexões entre empregadores e funcionários. “A partir de 2022, a maioria dos americanos (60%) está trabalhando remotamente ou em um arranjo híbrido e, de acordo com a nova pesquisa da ExpressVPN, esse número está prestes a crescer”, informa Li. “Segundo nossas descobertas, 79% dos empregadores planejam locais de trabalho híbridos (49%), metaversos (12%) ou remotos (11%) no futuro”, completa.

Ele destaca que, à medida que os locais de trabalho continuam a mudar para acordos fora do escritório, tanto os trabalhadores (90%) quanto os empregadores (88%) concordam que os avanços tecnológicos permitiram aumentar a produtividade e melhorar as conexões com seus colegas de trabalho nesses ambientes.

Os funcionários citam videoconferência (27%), reuniões presenciais (19%), mensagens instantâneas (13%) e e-mail (13%) como os métodos de comunicação que os fazem sentir mais conectados e engajados com seus colegas de trabalho. E, embora os empregadores concordem com os funcionários quando se trata de videoconferência (32%), eles veem o metaverso (17%) como o segundo melhor método para se manter conectado com colegas de trabalho ante apenas 9% dos funcionários.

Olhando para os avanços tecnológicos futuros, prossegue Li, tanto os funcionários (57%) quanto os empregadores (77%) expressaram interesse em experiências de trabalho imersivas, como o metaverso, embora houvesse um interesse significativamente maior dos empregadores. 

Empregadores e colaboradores têm percepções diferentes sobre o metaverso

Li destaca que os empregadores estão muito mais animados e curiosos sobre o metaverso, enquanto os funcionários estão visivelmente mais ansiosos e desconfiados.

“A maioria dos empregadores relata sentir-se entusiasmada (66%) e otimista (54%) sobre o futuro do trabalho no metaverso. Enquanto os funcionários relatam sentir níveis mais altos de ansiedade (24%), suspeita (20%) e confusão (17%), sinalizando um nível geral de hesitação quando comparado à excitação dos empregadores”, diz ele.

Vigilância no local de trabalho

Outro elemento destacado pelo vice-presidente da ExpressVPN é que o metaverso cria oportunidades para aumentar a vigilância no local de trabalho, o que pode trazer resistência dos funcionários.

“Ao analisar as táticas de vigilância existentes, 73% dos empregadores admitem atualmente vigiar seus funcionários. No entanto, apenas 55% dos funcionários pesquisados acreditam que estão sendo vigiados em seu trabalho atual”, diz.

Metaverso para a Geração Z

A Geração Z – definição sociológica para a geração de pessoas nascidas entre a segunda metade dos anos 1990 e o início do ano 2010 – é mais propensa a adotar o metaverso como um local de trabalho e menos propensa a se preocupar com a vigilância e a privacidade do empregador, observa Li.

“O estudo da ExpressVPN revelou que a geração mais jovem na força de trabalho é a mais ansiosa para entrar em um local de trabalho metaverso, dizendo que estão curiosos (53%), animados (53%) e otimistas (38%)”, reporta.

Os indivíduos da geração Z também são os mais propensos a dizer que o metaverso terá um impacto positivo em seu desempenho no trabalho (66%) e produtividade (63%), acrescenta. “Enquanto isso, os Baby Boomers estão mais interessados no aumento da flexibilidade de trabalho em casa (60%) que o metaverso oferece, em comparação com apenas 36% da Geração Z”.

Para mais informações, basta acessar: https://www.expressvpn.com/pt

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.