Entrevista com Claudio Bonel (Dadoteca)

ABRACD está selecionando profissionais de destaque no mercado de analise dados e entrevistando para saber qual foi a jornada que trilharam até chegar neste momento,
Claudio Bonel é o profissional destaque de hoje, um profissional que é realmente diferente, mostra em seus resultados, algo a mais que o combinado e assim ganha a admiração da comunidade, de seus superiores e da empresa onde trabalha.

1) Conte um pouco de você, onde mora, familia, estudos, etc.

Sou Carioca da gema, daqueles que amam a cidade, que o mate faz parte do dia a dia e que nao gosta que falem mal dela.

Sou de família humilde, da Ilha do Governandor, Zona Norte do Rio de Janeiro, como a grande maioria do povo brasileiro, passei por dificuldades durante minha infância, adolescência e primeira fase adulta, inclusive foram anos que cometi muitos erros.

Fui militar do Corpo de Fuzileiros Navais, tive a “oportunidade” de me envolver com coisas erradas, mas graças a Deus e a criação que meus pais me deram, isso jamais aconteceu, pois sempre acreditei que existia um caminho dígno e correto.

Demorei 7 anos para me formar, depois fiz minha especialização e depois fui (e ainda estou) em busca de um sonho que é me tornar Doutor em Educação, atualmente e depois de anos tentando arrumar tempo, estou cursando o Mestrado em Educação, para manter acesa a chama do meu sonho.

Como tenho uma paixão enorme pela minha cidade, costumo dizer que é meu primeiro amor, me dedico a diversas ações e projetos e sempre busco motivar outras pessoas a fazerem o mesmo. Vivemos em um lugar com uma diversidade social, cultural e econômica gigante e cabe a nós estabelecermos e estreitarmos relacionamentos com o povo do nosso contexto, na busca de auxiliá-los a mudarem suas histórias e também contribuírem com outras histórias.

2) Conte como foi sua história com a área de dados, como começou, quais cursos fez e onde trabalhou.

Como disse fui militar e em 2002 saí das forças armadas e voltei para o mercado, ainda sem ter nível superior, como havia feito segundo grau técnico em processamento de dados e tinha algum conhecimento de programação e banco de dados, naturalmente fui procurar um emprego que tivesse requisitos neste sentido.

Comecei trabalhando como programador de Banco de Dados, desenvolvedor de SQL e programador VBA, fazia diversos sisteminhas no Access, conectando com bancos SQL Server e Oracle, ainda nesta época conquistei algumas certificações em VB 6 e ADO.net (Sim! Sou velho! rs) e tive a oportunidade de participar de um projeto super bacana aqui no Rio, que foi a implantação do Rio Card (cartão de transporte público) na SuperVia (concessionária de trens), onde meu trabalho era integrar os dados de todos os validadores (máquina que passa o cartão) em uma base única, neste momento senti a necessidade de me aprofundar mais em integrações de dados, bases únicas etc.

Foi aí que cheguei ao Business Intelligence, comecei a me dedicar as boas práticas e inicei os estudos pelo livro “The Data Warehouse Toolkit”, em inglês, pois não tinha tradução na época e é um livro muito atual até os dias de hoje, sempre o recomendo. Depois desse projeto fui convidado a trabalhar em uma consultoria de dados, chamada Decisi (que depois virou Dimensi e que foi comprada pela CPM Braxis e que foi comprada pela Capgemini), onde tive a oportunidade de me aproximar de análise de dados, fiz diversos cursos de Boas práticas de BI, Design de Dashboards, Arquitetura de Dados, Engenharia de Software e de requisitos, modelagem de dados, entre outros e foi aí que também comecei a dar aulas e fui picado pelo mosquiso de sala de aula!

Lecionar é a coisa mais linda do mundo, poder contribuir com a caminhada de outra pessoa é algo inexplicável e que não tem preço que pague! Nesta caminhada cheguei a ministrar treinamentos de BI pelo Brasil inteiro, fui um dos primeiros professores a lançar um treinamento online e ao vivo, em 2010, e cheguei a ser Head de Business Intelligence em uma consultoria.

Atualmente possuo minha própria consultoria de análise de dados, a Dadoteca, onde também ministramos treinamentos, sou professor de disciplinas de análise de dados em pós-graduações (SENAC-RJ e UNISUAM) e sigo minha missão de levar conhecimento gratuitamente para quem precisa, para comunidades, para profissionais desalocados, enfim para quem necessita de um apoio, de um papo, de um conhecimento a mais. Sim! a Educação muda vidas! Transforma realidades! E convido a você, que está lendo, a fazer o mesmo!

3) Quais são as tecnologias que vão ter destaque em 2021 na sua opinião?

Eu tenho muito cuidado a falar de tecnologia, pois é importante lembrar que o foco jamais será a tecnologia e sim a solução para um determinado desafio.

Anote aí e prenda na sua parede para sempre se lembrar! Menos é mais! Não crie complexidade, onde não tem! Foque na solução!

Claudio Bonel

Vivemos em um contexto de diversas mudanças, principalmente com a pandêmia, vimos que a tecnologia é essencial para que possamos nos adequar as mudanças que o mundo nos impõe. Desta forma precisamos de flexibilidade para trabalhar, para estudar, para tocar nossas vidas da melhor forma possível.

Isto posto, quanto mais você puder pensar em Cloud (nuvem), melhor. E aqui estamos falando de Azure, AWS, Google Cloud, Alibaba Cloud. Na nuvem você fica mais flexível a manutenibilidade, escalabilidade, confidencialidade, disponibilidade e vale considerar que o investimento é melhor planejado.

Aqui também é importante destacar o volume de dados que só aumenta dia após dia, portanto se dedicar a parte da Engenharia de Dados, onde você vai integrar esses dados, contruir data lakes para cientistas de dados, aplicar regras de negócio para criar data warehouses e data marts é de extrema importância, sempre visando agilidade e automatização no processo. Aqui vale ressaltar a governança destes dados.

E por fim, não menos importante, o Storytelling. É importante saber como apresentar estes dados, saber vender suas ideias, baseado em fatos. De nada adiante ter uma arquitetura linda e maravilhosa, se você não consegue fazer com o que o interlocutor compreenda o que está sendo apresentado.

4) O que você não recomenda que seja feito na área de analise de dados?

Essa pergunta é sensacional é vou ser bem objetivo.

1 – Não levantar requisitos

Erro primário, básico mas, que todo nós cometemos e precisamos sempre nos policiar diante disso.

Sempre que for desenvolver uma solução de análise de dados, você precisa entender quais as perguntas que precisam de respostas, o que essa solução vai de fato resolver e, para isso faz-se necessário levantar requisitos, conversar com quem vai usar a solução, descobris as dores, desamores, sonhos, desejos dessas pessoas, para aí sim você se planejar para desenvolver sua solução

2 – Falta de planejamento

Planeje-se! Descreva as atividades, as datas de entrega e os responsáveis, monitore-as e seja flexível para os desafios que surgirão durante o desenvolvimento da sua solução. Sim! Requisitos mudam, surgem novos requisitos e você tem que ser flexível, sempre se atentando para os impactos no cronograma.

3 – Não use uma tecnologia para fazer algo ao qual não é seu objetivo principal. Por exemplo:

Utilizar o Microsoft Power BI como ferramenta de ETL. Power BI é excelente é visualização de dados, inclusive é posicionado pela Microsoft desta forma e é lider neste quesito. Portanto, use-o como uma ferramenta de visualização de dados.

Ahhh Bonel, mas ETL não significa extrar, transforma e carregar? Sim! Significa! Mas, pra ser um ETL a ferramenta precisa ter uma disponibilidade corporativa. Caso contrário o Excel e o Notepad também seriam ferramentas de ETL.

Pode ser que um dia (isso já está acontecendo) o Power BI possua um módulo de ETL robusto, onde você possa construir um datawarehouse, mas ainda não é o caso.]

5) Qual conselho você deixa para os novos profissionais deste mercado.

Dê um passo de cada vez e não se apegue aos modismos. Um bom profissional de análise de dados é àquele que se dedica aos conceitos e boas práticas. Construa a fundação da sua carreira, forme uma base sustentável, da mesma forma que um prédio, excelente prédios e que jamais sucumbirão a uma queda, são àqueles que possuem uma fundação excelente, àqueles que possuem vigas fortes. Isso vale para um profissionais de dados (e qualquer outro profissional).

Anote aí e cole na sua parede:

Estruture e Fortaleça a sua base. Aprofunda-se nos conceitos e boas práticas.

Claudio Bonel

Uma vez que você tem a sua base forte, vocâ aprende qualquer tecnologia em no máximo 40 horas. Eu posso te garantir isso!

Anote aí e cole na sua parede: A tecnologia é somente um meio para se aplicar os conceitos e boas práticas

Vai nesse caminho que você terá uma carreira longa e duradoura na área de dados.

6) Observações e agradecimentos finais (fique livre).

Muito obrigado a ABRACD pela oportunidade de poder falar um pouco sobre minha vida, minha carreira, boas práticas e minha experiência como pessoa e profissional. A caminhada é longa mas, se você construir uma base forte, tenha certeza que você vai longe!

Tamojunto e boas análises!

Claudio Bonel
https://www.linkedin.com/in/bonel/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pin It on Pinterest