Notícias Corporativas

Com crescimento do varejo, armazéns redobram cuidados para evitar acidentes

DINO
Escrito por DINO
Com crescimento do varejo, armazéns redobram cuidados para evitar acidentes
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

O segundo semestre de 2022 tem superado as expectativas de crescimento no comércio varejista. No Dia dos Pais, as vendas aumentaram 7% nas lojas físicas, de acordo com a Serasa Experian. E até o final do ano, outras datas comemorativas e eventos – Dia das Crianças, Black Friday, Copa do Mundo e Natal – devem impulsionar o comércio em 12%, segundo a Associação Brasileira do Varejo (ABV).

“A retomada do comércio é uma excelente notícia para a economia, mas o aumento do fluxo de cargas também demanda cuidados redobrados para evitar acidentes com empilhadeiras, especialmente nos grandes armazéns e centros de distribuição”, alerta Afonso Moreira, diretor da AHM Solution, empresa especializada no incremento da segurança e da produtividade em operações logísticas.

Ele ressalta que o crescimento dos volumes movimentados nestes galpões eleva o risco de colisões e atropelamentos, uma vez que estas estruturas de armazenagem contam com muitos “pontos cegos”, como pilha de materiais e porta-paletes, que obstruem a visão total dos operadores de empilhadeiras, por exemplo.

“Com as movimentações mais intensas é importante reforçar os sistemas preventivos nas operações logísticas”, recomenda Moreira. Além de sinalizações e equipamentos de segurança, alguns centros de distribuição estão instalando sensores de detecção de pedestres em suas empilhadeiras e nos coletes de funcionários, para evitar atropelamentos.

“Um destes sistemas, conhecido Hit-Not, funciona por meio de ondas magnéticas, que atravessam todo e qualquer tipo de ponto-cego (como paredes e pilhas de materiais) e podem identificar a presença de outro sensor”, explica o diretor da AHM. “O raio de alcance desse dispositivo de segurança varia de 13 a 30 metros. Sempre que um pedestre e uma empilhadeira, devidamente equipados, estão executando uma atividade dentro deste campo, sinais sonoros, visuais e de vibração são emitidos para ambos, mesmo sem contato visual, evitando acidentes de trabalho na movimentação de cargas”, completa.

Da NASA para a logística

O sistema Hit-Not foi desenvolvido pela Frederick Energy Products, fundada em 1995 por Larry Frederick, ex-engenheiro da NASA que trabalhou nos programas Apollo Moon e Skylab, entre outros.

Após deixar a agência especial, Frederick se dedicou ao desenvolvimento de novas tecnologias, como projetos de segurança para astronautas e para atividades de mineração. O sistema de ondas magnéticas do Hit-Not veio de um desses projetos.

A AHM Solution distribui o sistema Hit-Not no Brasil e em outros países da América Latina, como Argentina, Chile, Colômbia, Peru e México.

O sistema Hit-Not já foi implantado pela AHM Solution em grandes empresas desta região, como Alcoa, Arauco, Arcelor Mittal, Dow, Denso, GM, International Paper, Novelis, Souza Cruz, entre outras.

Mais informações em: https://www.ahmsolution.com.br/lp-prevencao-hit-not/

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.