Notícias Corporativas

BI industrial torna-se fundamental na manufatura 4.0

DINO
Escrito por DINO
BI industrial torna-se fundamental na manufatura 4.0
Junte-se a mais de 3.000 pessoas

Entre para nossa lista e receba conteúdos exclusivos sobre Data Science

A utilização de recursos tecnológicos tornou-se vital para muitos segmentos, e na indústria, setor que vive em constante transformação junto com o mercado, isso não seria diferente. É nesse contexto que entram em cena discussões acerca do Business Intelligence, ou BI industrial.

Segundo uma pesquisa da Mckinsey, dois terços das empresas industriais em todo o mundo dizem que a digitalização da produção é uma de suas maiores prioridades. Essa mesma pesquisa ainda identificou que as empresas estão buscando aplicar a digitalização para otimizar três demandas:

  1. Conectividade: Ou seja, disponibilizar um fluxo de informações relevantes e em tempo real para os tomadores de decisão;
  2. Inteligência: Aplicar análises avançadas e inteligência artificial para gerar insights e otimizações na cadeia produtiva;
  3. Automação: Aproveitar a robótica para melhorar a produtividade, qualidade e segurança dos processos operacionais.

Aloisio Arbegaus, diretor da Teclógica, afirma que isso acontece porque a manufatura se encontra na era 4.0, que antes de tudo, é orientada por dados inteligentes. “O cenário atual engloba diversas tecnologias no cotidiano, como Machine Learning e Inteligência Artificial.”

Explicando o BI industrial

BI é a abreviação do termo Business Intelligence, ou Inteligência de Negócios em português. Trata-se de um processo de coleta, organização e análise de dados. Essa tecnologia transforma informações desconexas em indicadores inteligentes.

A partir de ferramentas de BI no chão de fábrica, vários registros gerados pelo maquinário podem ser utilizados para melhorias nos processos operacionais. Além disso, também é possível obter visualização em tempo real do que está acontecendo na cadeia de produção

“Entre os diversos benefícios do Business Intelligence na indústria, podemos destacar: melhor tomada de decisão, manutenções programadas, paradas estratégicas e em menor recorrência e maior previsão de demanda”, explica Aloisio.

Com o Business Intelligence, a gestão dos dados acontece de forma organizada e padronizada. Assim, a análise dessas informações permite aos gestores maior visibilidade dos processos e conhecimento do negócio. Dessa forma, ao invés de trabalhar com base em suposições, apoiam-se em indicadores consolidados para agir de forma assertiva.

Tomada de decisões assertiva

O uso de BI industrial oferece informações integradas sobre vários setores e pontos de melhoria, oportunizando insights em fatores como: design, engenharia, logística, satisfação do cliente, análise de qualidade, etc. É possível extrair dados de diferentes sistemas (por exemplo, finanças, operações e vendas), tornando os processos mais conexos.

Aloisio explica que utilizando-o para o gerenciamento do estoque, por exemplo, é mais fácil garantir que não ocorram faltas nem desperdícios de insumos utilizados na produção. “Também fica mais fácil tomar decisões quanto ao custo-benefício de algumas aplicações. Isso oportuniza maior rentabilidade para a indústria”, completa ele.

É inegável que cada vez mais processos estão sendo movidos por dados, e essas informações são processadas numa velocidade exorbitante, por isso, o uso de tecnologias para auxiliar nessa demanda é fundamental.

Contar com um software do tipo MES, por exemplo, que faz o gerenciamento de toda a cadeia produtiva, é uma forma de garantir competitividade e melhorias contínuas para os processos da indústria.

*Assinado por: Aloisio Arbegaus, Diretor da Teclógica.

Licença de uso do conteúdo.

O conteúdo do Portal ABRACD.org foi escrito sob a licença Creative Commons BY-SA 3.0. Você pode usar e compartilhar este conteúdo desde que credite o autor e veículo original do mesmo.